sobre collage: "Este fascínio a que aludimos (sua fascinação e sua erótica) decorre da função simbólica da imagem (como linguagem da experiência vivenciada mesmo) e que revista, subvertida, revolucionada na sua forma poética/plástica, readquire o sensível". Sérgio Lima, 1984

27.7.09

Tijolinhos de Arte



Essa intervenção rolou da ultima vez que a galera se reuniu
dançarinos bailaram, bonecos abraçaram as crianças, atores
encheram o tal do Marco Zero, teve pintura no rosto, poesia
nos ares, e muito mais...













A Heidy e Eu deixamos o caminho colorido, fixamos no
chão a nossa alegria de viver arte!
o Nelson deu um apoio... e foi assim que rolou...




7 comentários:

Cia Dois Contos e Muitos Encantos... disse...

Muito show!!! VIVA A arte contemporânea...

Nelson Caracortada disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cia Brancaleone de Teatro disse...

adoramos esta colagem performática...mas a pergunta que não quer se calar...será que cabe uns palhaços e palhaças...nessa performance aí???
( ) sim
( ) não
( ) quem sabe um dia...
( ) de jeito nenhum!!!
( ) podem vir que a gente avisa
quando tiver outra.
( ) podem vir ver, mas por favor
não mexam em nada.

beijinho palhaçê evoé!!! E mais uma vez...muito muito muito show...

manulorena disse...

Oi Aline......td bem? Estava passeando na tua calçada e me lembrei de uma artista que tb adora uma cola, um papel, uma tesoura ...... coisas simples, coisas bem feitas.

Segue o link: http://www.planetplatonic.org

abrcs
ah! fiz um blog, visita eu.
http://manulorena.blogspot.com

Débora Kikuti disse...

Que lindo!!!
Pena eu não ter ido...na próxima, me chama, viu?
Grande beijo...continue colorindo, que a gente precisa disso...
Inté.

forum estadual da performance disse...

olha onde te achei...linda ação e cola...bom saber que aprontas por guarulhos...nunca mais te vi na rede de performance...por onde andas? besos. George / rede de performance SP

li disse...

o que vale mesmo é a espontaneidade!
viva

Colar me faz bem!

todos esses trabalhos são feitos com recortes de revistas
que precisavam de uma nova chance.

todas essas imagens foram revistas das revistas e revisitadas algumas vezes até virem para cá.

todas as composições foram em nome de algum impulso e incontrolavelmente precisaram ser produzidas!

tudo, todos e todas esperam para serem vistos e revistos por seu olhar... Olhe, veja!

Aline Fonseca